Como a inteligência artificial pode contribuir para a indústria do turismo?

O turismo na era da informação

A utilização das grandes quantidades de dados para melhor conhecer as indústrias é uma realidade para todos os setores. Saber trabalhar este oceano de informações, geradas e consumidas por sistemas, é fundamental para estar sempre à frente da concorrência: a oportunidade de conhecer e antecipar o comportamento dos atores vem guiando mudanças na infraestrutura e nas ferramentas para captar, guardar, analisar e visualizar grandes quantidades de dados.

Como a indústria do turismo pode aproveitar estes avanços para melhorar tanto seu negócio quanto a experiência do viajante?

Algumas utilizações já estão amplamente difundidas e bem estruturadas, como a dinamização dos preços nos portais online graças a técnicas de análises (como por exemplo, passagens aéreas) que talvez seja a mais representativa dentre este assunto.

Este exemplo, claro, não é um fator isolado. Mesmo o comportamento do viajante vem mudando, utilizando um punhado destas informações para realizarem melhores escolhas; qual destino que melhor se adapta ao seu perfil, ou mesmo o restaurante que quer conhecer.

O objetivo deste post é justamente realizar uma provocação, que mesmo que mudanças de comportamento e avanços já tenham impactado a indústria do turismo, há um vasto campo ainda a ser explorado e aproveitado pelos tomadores de decisão (corporativos e de governos locais).

O que está por aí?

Se servir de todos estes dados para imaginar relações, realizar análises, encontrar tendências, insights que auxiliem empresas e coletividades a tomarem melhores decisões de negócio, fazendo com que a preparação para receber o turista seja feita com mais precisão e que sejam assertivos ao proporcionar a experiência.

A indústria do turismo deixa uma infinidade de rastros de dados: reservas de hotel, utilização de smartphones, fluxo de automóveis nas estradas, reviews em restaurantes, opiniões em blogs… Dentre todos estes dados, entender quais podem contribuir para sua análise é fundamental para encontrar um modelo preditivo útil.

Não nos esqueçamos, aqui não estamos falando somente sobre a grande quantidade de dados de maneira isolada mas também sobre a velocidade em que elas são analisadas pelas ferramentas escolhidas. A constância da recepção dos dados é fundamental para um modelo preditivo preciso e útil ao tomador de decisão.

Estas informações disponíveis nos possibilitarão de construir insights e traçar tendências para que qualquer ator dentro da indústria possa se programar melhor. Estes insights não apontarão que durante o verão aumentará o fluxo de pessoas no litoral brasileiro, mas sim quais praias receberão quantos e que tipo de turistas.

A Inteligência Artificial aparece como ferramenta imprescindível ao planejamento territorial e à estratégia corporativa.

Planejamento territorial

Foi isto que o Ministério do Turismo de Cuba fez: recorreu à Big Data Analytics para adequar sua infraestrutura ao aumento (repentino/programado) de turistas norte-americanos, como você pode ver nesta matéria. Para você que não leu a matéria e para você que leu mas não se atentou: a notícia é de 2015.

Quer saber como aplicar algoritmos preditivos para entender as preferências e o comportamento dos turistas? Quer saber qual é a taxa de desistência nesta temporada? Como melhor gerir seus recursos? Previsão de demanda e vendas?

Entre em contato conosco.